27 de abr de 2017

Western Digital começa a vender HD de 12 TB

A Western Digital informou ontem ter começado a vender um dos seus mais potentes modelos de disco rígido: o Ultrastar He12, da HGST, que vem com 12 TB de espaço para armazenamento. O preço, no entanto, não foi divulgado, provavelmente porque ele vai variar de acordo com a quantidade de unidades adquiridas, já que o produto é voltado ao mercado corporativo.
O modelo foi anunciado no final do ano passado junto a uma versão que tem 14 TB, mas esta última só terá as vendas liberadas depois da metade do ano.
Os dispositivos são preenchidos com gás hélio para oferecer mais armazenamento no mesmo espaço. Ambos têm oito discos empilhados dentro de suas 3,5 polegadas. De acordo com a empresa, isso representa dois discos a mais do que os maiores HDs preenchidos com ar, o que por sua vez permite 50% mais armazenamento do que os maiores dispositivos com a tecnologia mais velha.
Normalmente, HDs possuem diversos discos magnéticos, nos quais a informação é gravada, e usam camadas de ar para separar um disco do outro. Isso garante que eles não se danifiquem, e permite que os discos girem de maneira mais estável e com menos atrito (oferecendo velocidades mais rápidas de leitura e gravação).
A principal vantagem de usar gás hélio no lugar do ar, como faz o Ultrastar He12, é que o hélio tem apenas cerca de um sétimo da densidade do ar. Assim, é possível conseguir a mesma estabilidade, velocidade e proteção que o ar permite em menos espaço.
O Ultrastar He12 de 12 TB de capacidade oferece uma densidade de armazenamento de quase 134 gigabits por centímetro quadrado. Ele, assim como a versão de 14 TB, gira a 7.200 RPM, tem um tempo de busca de 8 milissegundos da cabeça e atinge velocidades máximas de 12 Gbps na interface SAS e 6 Gbps na interface mais comum, SATA.
Fonte: Olhar digital.

25 de abr de 2017

Usuários do Google Photos agora podem enviar fotos para TV via AirPlay

Com update do app para iOS, é possível exibir imagens no televisor por meio da Apple TV.

A partir de agora, os usuários do Google Photos podem enviar suas imagens do iPhone ou iPad para a TV.
Isso porque um novo update do aplicativo do Photos para iOS finalmente adicionou suporte para a transmissão de fotos via AirPlay.
Com isso, os usuários podem escolher diretamente no smartphone da Apple quais fotos querem mostrar para os amigos e familiares na tela grande, por exemplo.
Vale notar que é preciso ter uma Apple TV conectada ao seu televisor para poder usar a funcionalidade.

Fonte: Macworld.

24 de abr de 2017

Usuários de iPhone agora têm uma nova forma de usar o WhatsApp

A Siri, assistente da Apple, não possui tantas integrações com aplicativos de terceiros como a Alexa, da Amazon, e o Assistente do Google. No entanto, desde que a empresa abriu a plataforma, no ano passado, os usuários ganharam novos recursos.
Em sua mais recente atualização, o WhatsApp incluiu duas novas formas de usar o app: agora é possível enviar mensagens usando o comando de voz e também utilizar a Siri para ler as mensagens recebidas em voz alta.
Com as configurações ativadas, o simples comando “E aí, Siri, leia minha última mensagem do WhatsApp" fará com que a assistente abra o aplicativo e leia o texto mais recente que você recebeu. O recurso garantirá uma maior segurança no trânsito, uma vez que os usuários estarão menos tentados a ficarem olhando para o celular enquanto dirigem.
Para usar o ditado da Siri, o smartphone precisa estar executando o iOS 10.3 ou uma versão mais recente. A atualização do WhatsApp também inclui ajustes visuais nas abas de “Ligação”, “Dados do Contato” e “Dados do Grupo”, além da possibilidade de apagar várias atualizações de status de uma vez só.
Fonte: Olhar Digital.

19 de abr de 2017

Apple consegue permissão para testar carros sem motorista nos EUA

Segundo WSJ, empresa recebeu permissão para testar três SUVs na Califórnia. Gigante de Cupertino se junta ao Google, Uber, Tesla e BMW para testar tecnologia.

Parece que a Apple não quer colocar o pé no freio para um carro autônomo próprio.
Na última sexta-feira (14/04), o Departamento de Transportes da Califórnia agora lista a Apple como uma das companhias que possui permissão para legalmente testar seus carros sem motorista no estado. Isso significa que a iniciativa de veículos autônomos da Apple, conhecido como Projeto Titan, está de volta à estrada.
O estado da Califórnia exige que todas as companhias com veículos autônomos registrem seus planos antes de testá-los. Outras companhias de tecnologia como o Google e Uber, além de montadoras como Tesla e BMW, também receberam permissões para testar sua tecnologia em vias públicas. A permissão do Uber foi recentemente entregue em março, mas a companhia tem mantido os testes por enquanto.
De acordo com o Wall Street Journal, as permissões da Apple cobrem três SUVs Lexus 2015 e seis diferentes motoristas que devem se sentar atrás do volante para monitorar a direção e assumir quando necessário. Além da permissão, o estado da Califórnia exige que as companhias preencham relatórios públicos sobre seus testes com carros autônomos, incluindo relatórios sobre acidentes e quantas vezes o motorista precisou assumir a direção. Isso abriria uma nova fase para a Apple, a medida que a companhia é conhecida por manter sob segredo todos os seus testes antes de lançar produtos no mercado. 
Por que isso importa
Essa é a primeira indicação concreta de que o projeto supersecreto da Apple, o Projeto Titan,  ainda está em andamento.
Anteriormente, muito se especulava sobre o projeto de carros autônomos da gigante de Cupertino. Só em 2015 a Apple preencheu permissões para construir uma "área para teste de carros" próximo a Cupertino, alugou uma área de testes supersecreta e teve reuniões com o Departamento de Transportes do estado da Califórnia.
Em 2016, entretanto, a Apple pareceu deixar de lado a iniciativa, optando apenas por criar um software de direção autônoma para licenciar para montadoras, ao invés de começar um veículo Apple do zero. Esta seria uma novidade para a Apple, que tem criado seu legado por desenvolver tanto o hardware quanto o software em seus produtos.
Agora, a Apple será obrigada a preencher relatórios públicos para seus testes de direção autônoma e espere por mais informações sobre o Projeto Titan em breve.
Fonte: Macworld.

Apps do pacote iWork da Apple agora são listados como gratuitos na AppStore

Diversos aplicativos para MacOS e iOS, integrantes do pacote iWork – o Office da Apple  foram atualizados e ganharam o status de gratuitos na AppStore, a loja de apps da marca. São cinco programas que viraram oficialmente grátis: Pages, Keynote, Numbers, GarageBand e iMovie.
Vale lembrar que esses aplicativos já eram gratuitos para donos de dispositivos da Apple desde 2013, mas agora estão liberados gratuitamente para qualquer pessoa que quiser baixar, inclusive usuários de aparelhos mais antigos com MacOS ou iOS e que ainda não possuem os programas.
Caso você ainda não possua esses programas, que formam o pacote clássico da Apple, incluindo processador de texto, editor de vídeo, de apresentações, planilhas, gráficos e até um editor de áudio com instrumentos virtuais e tudo mais, aproveite para baixá-los gratuitamente na App Store para seus dispositivos com iOS e MacOS. Baixe-os a seguir:
  • Baixe o Pages para iOS ou para MacOS
  • Baixe o Keynote para iOS ou para MacOS
  • Baixe o Numbers para iOS ou para MacOS
  • Baixe o GarageBand para iOS ou para MacOS
  • Baixe o iMovie para iOS ou para MacOS

Fonte: Tecmundo. 

17 de abr de 2017

Apple deve lançar 'iPhone 6 recauchutado' no Brasil, agora com 32 GB espaço


Seguindo uma ação que começou em alguns mercados asiáticos, a Apple deve lançar em breve no Brasil o “iPhone 6 recauchutado”, uma nova versão do aparelho que a empresa colocou no mercado originalmente em 2014. A única diferença entre esse “novo” smartphone e a sua versão original será o armazenamento.
Em vez de vender o celular com os originais 16, 64 e 128 GB de armazenamento, a Maçã pretenderia disponibilizar apenas a opção de 32 GB, que agora é o mínimo oferecido pela marca em seus aparelhos mobile. O iPhone 6 original saiu de linha em setembro do ano passado, quando vez dois anos de mercado.

É possível que a empresa tenha reciclado unidades recompradas de consumidores que trocaram por modelos mais novos
Não sabemos a origem desses produtos, mas é possível que a empresa tenha reciclado unidades recompradas de consumidores que trocaram por modelos mais novos. É possível também que pontas de estoque tenham sido aproveitadas. Existe também a possibilidade de a empresa estar fabricando esses dispositivos do zero, mas não há confirmação acerca de nenhuma das hipóteses no momento. Portanto, estamos apenas especulando.
Essa versão de 32 GB do iPhone 6 já começou a ser vendida por preços inferiores aos do iPhone SE em mercados asiáticos, sendo que alguns países só receberam o modelo na cor dourada. A chegada do iPhone recauchutado ao Brasil foi relatada inicialmente por um leitor do MacMagazine, que enviou fotos da versão cinza espacial para a publicação.
Note que a unidade vem com o carregador brasileiro, documentação em português e também com o selo da Anatel. Portanto, não há dúvidas de que se trata de uma versão nacional do dispositivo.
O curioso é que esse iPhone 6 não deve ser vendido diretamente pela Apple, mas sim por suas parceiras, como operadoras e grandes lojas do varejo nacional. Estratégia similar vem sendo praticada na Ásia. Espera-se que o smartphone seja "batarto", para recuperar a moribunda participação de mercado da Apple no Brasil, custando algo entre R$ 1,8 mil e R$ 2,5 mil. Seja como for, ainda não há qualquer informação sobre quando o celular de fato estará no mercado.
Fonte: Tecmundo.

16 de abr de 2017

Apple recebe permissão para testar carros autônomos na Califórnia


Se existia alguma dúvida de que a Apple estava trabalhando em um projeto de carro autônomo, ela acabou. A empresa recebeu uma permissão para testar os veículos que dirigem sozinhos na Califórnia.
De acordo com o Departamento de Veículos Motorizados do estado, a empresa é a mais recente companhia a receber a licença de testes de veículos autônomos, se juntando a outras como a Uber, Bosch, Mercedes-Benz, Faraday Future e Tesla.
Ainda não está claro quais são os planos da Apple, pois a companhia tinha paralisado o seu projeto de construir um carro sem motorista. Mesmo assim, essas licenças possuem um prazo longo e exigem que a companhia apresenta uma série de informações de registros e seguros, o que significa que a gigante da tecnologia não encerrou completamente a sua divisão automotiva.
Fonte: Olhar digital.

14 de abr de 2017

Atualize sua maquina !


Orçamento:  Email guthmannhk@icloud.com.br ou (11) 9 8186-7112.

11 de abr de 2017

Apple está trabalhando em chip que pode melhorar a bateria do iPhone

Mais uma fornecedora da Apple corre o risco de perder seu contrato com a fabricante. De acordo com analistas financeiros, a Dialog Semiconductor também pode deixar de produzir peças para os iPhones. Mas isso não parece ser um problema para a Apple, que está interessada em desenvolver o seu próprio chip ao invés de depender de outras companhias para a fabricação de peças para os seus smartphones.
Os rumores são de que empresa tem 80 engenheiros trabalhando em uma peça chamada “PMIC” ou um circuito integrado de gerenciamento de energia que ajudaria a aumentar a vida útil da bateria – uma das principais queixas de usuários do iPhone. Segundo analistas, este novo chip poderia ser incluído em um novo smartphone a partir de 2019.
Por conta dos rumores, a companhia alemã Dialog Semiconductor, que é uma das maiores do mundo no segmento, viu as ações caírem 36%, já que a Apple é uma de suas maiores clientes, respondendo por cerca de 70% de sua produção.
E ela não é a única que perdeu contratos com a gigante da tecnologia. Nas últimas semanas a Apple encerrou contratos com a Sued Qualcomm, que fornecia modem, e com a Told Imaggination Technologies, a designer do chip gráfico usado atualmente nos iPhones.
Essa movimentação da Apple indica que a empresa está interessada em começar a produzir alguns dos componentes internos de seus produtos e é algo que faz muito sentido, pois além de reduzir o montante que gasta com licenças e contratos, as peças poderiam ser personalizadas com maior rapidez para serem utilizadas em mais aparelhos da marca, como o Apple Watch.
Fonte: Olhar Digital.

10 de abr de 2017

Brasil pode ganhar mais duas Apple Stores em breve, uma delas em SP

Brasil pode ganhar duas novas Apple Stores em breve, de acordo com uma matéria veiculada no site Apple Insider. A reportagem nem envolve o nosso país (ela fala da possível assinatura de contrato para uma nova unidade das lojas físicas no México), mas há uma breve menção a respeito daqui ao final do texto, com uma informação vinda da mesma fonte latina.
"A Apple está também refletindo sobre uma expansão no Brasil. Oficiais da companhia determinarão se devem ou não abrir duas lojas adicionais no país, incluindo uma 'top de linha' em São Paulo no final de 2017, segundo uma fonte", diz o texto.
Isso significaria que a Apple está em processo decisório sobre abrir ou não mais lojas no país — e a data "final de 2017" provavelmente se refere à confirmação disso ou não, já que a empresa costuma levar mais do que poucos meses para fazer a inauguração de lojas ao redor do mundo. O destaque da unidade de São Paulo é que ela seria "flagship", ou seja, de maior importância e imponência que as demais. Isso provavelmente significa que ela terá um endereço próprio, não pertencendo a um shopping ou outro estabelecimento, e talvez ocupe até mais de um andar. A segunda cidade não foi citada na matéria.
Vale lembrar que o Brasil possui, até o momento, duas Apple Stores, ambas localizadas em dois shoppings: a Apple VillageMall (Rio de Janeiro) e a Apple Morumbi (São Paulo). Ainda na América do Sul, Buenos Aires pode ganhar a sua primeira unidade em 2018.
Fonte: Tecmundo.

iPhone 8 deve trazer novo conector para recarga sem fio e realidade virtual

O iPhone 8 caminha para ser o celular mais diferente que a Apple já lançou, e os novos rumores apontam nessa direção. Há a expectativa de que a empresa inclua um Smart Connector no novo iPhone para que o celular possa fazer a interface com visores de realidade virtual ou realidade aumentada.
Para quem não se lembra, o Smart Connector são três pinos discretos e magnéticos colocados atrás do iPad Pro, que fazem a interface com o teclado da Apple. Ele permite uma conexão mais simples, fácil e eficaz do que o Bluetooth, ao mesmo tempo em que possibilita que o acessório seja abastecido com a bateria do tablet, dispensando uma bateria interna no teclado. Até hoje, nenhum outro produto da Apple conta com o conector.
De acordo com o site israelense The Verifier, o Smart Connector também poderia ser usado para recarga sem fio, que é um recurso que já está praticamente confirmado na próxima geração do iPhone pelo fato de a empresa anunciar publicamente a participação no consórcio que apoia o padrão Qi para recarga sem fios. Para completar, o conector também poderia ser uma porta para outros acessórios além de visores.
O fato é que, apesar de ser um rumor que está longe de ser confirmado, é o tipo de coisa que faz sentido. A Apple está atrasada em relação ao Android e o Google em termos de realidade virtual, e o Smart Connector magnético permitiria que os usuários ligassem o cabo de energia e desligassem com facilidade.
Durante o período pré-lançamento do iPhone 7, o Smart Connector também chegou a ser especulado, e alguns vazamentos mostravam que a empresa estava desenvolvendo a ideia. No entanto, o recurso acabou descartado na versão final do aparelho.
Espera-se que o novo iPhone seja apresentado em setembro, como a Apple faz todos os anos. A expectativa é maior do que o normal, uma vez que 2017 marca o décimo aniversário do primeiro celular da empresa. Neste ano, os rumores apontam para o fato de que a empresa terá três versões novas do smartphone, e a mais avançada pode superar o valor de US$ 1.000.
Fonte: Olhar Digital.

6 de abr de 2017

Aplicativo do Google Calendar finalmente chega ao iPad

Após muitos anos de espera, usuários do tablet da Apple poderão enfim aproveitar os recursos do app de calendário da gigante de buscas.

O aplicativo do Google Calendar finalmente chegou ao iPad. É isso mesmo. Até essa semana, a gigante de buscas não tinha otimizado seu aplicativo de calendário para os tablets da Apple.
O novo app permite que os usuários visualizem os calendários que possuem e que foram compartilhados com eles pelo serviço do Google. Além disso, eles recebem alguns recursos interessantes que não estão presentes no app nativo de calendário da Apple, como a habilidade de encontrar mais facilmente tempo e espaço para marcar uma reunião, por exemplo.
Deixar os usuários de iPad esperando por um app nativo do Calendar não é surpresa vindo do Google, uma vez que a empresa de Mountain View está por trás do Android, maior rival do iOS no mercado móvel, e costuma liberar novos recursos primeiramente para aparelhos que rodam o seu sistema.
Isso não quer dizer que o Google Calendar estava totalmente indisponível para os usuários de iPad nos últimos anos. O app do Calendar para iPhone podia ser rodado nos tablets da Apple, mas não estava otimizado para uso nesses aparelhos.
A iniciativa faz parte de um movimento contínuo do Google para fazer com que o seu pacote de serviços de produtividade G Suite chegue ao maior número possível de usuários.
Vale lembrar que a Microsoft já oferece seu próprio aplicativo de calendário para iPad na forma do Outlook para iOS desde 2015.
Fonte: Macworld.

Atualização 10.3.1 do iOS chega repentinamente; confira o que o update traz!

Não tem jeito: muitos de nós gostamos de atualizar qualquer software ou sistema que temos. Afinal, se é uma atualização, provavelmente veio para melhorar – não é sempre o caso, mas essa é a ideia. Dessa vez, é o update 10.3.1 do iOS que chegou de surpresa para todos os iPods, iPads e iPhones compatíveis (afinal, alguns modelos mais antigos não ganharam suporte à versão 10 do sistema).
Não há grandes mudanças aqui, mas há dois fatores “genéricos” bons e uma novidade bacana. Como é de praxe de qualquer atualização pequena, houve correções de bugs e aprimoramento da segurança (eliminando problemas de vulnerabilidade do WiFi), algo padrão de quase toda nova versão do iOS. Contudo, o que voltou agora é o suporte aos dispositivos 32 bits, ou seja, iPhone 5S e iPhone 5C.
O update é bem pequeno e pesa apenas 35 MB (a não ser que seu iPhone seja o 5S ou o 5C, já que o update é retroativo e traz a outra atualização, pesando 1,47 GB). Apesar de não trazer nenhuma novidade quente, é bem provável que o seu dispositivo da Apple ficará mais seguro e estável. Além disso, alguns aprimoramentos do CarPlay e Find My AirPods foram realizados.
Fonte:Tecmundo.

4 de abr de 2017

Apple corrige falha de execução remota de código no iOS

Problema está ligado aos chips Wi-Fi Broadcom usados em iPhones, iPads e iPods.


A Apple liberou nesta semana uma atualização para o iOS que corrige uma vulnerabilidade que poderia permitir que invasores executassem código malicioso nos chips Wi-Fi Broadcom usados em iPhones, iPads e iPods.
Os hackers podem explorar a falha em questão para executar código no contexto do firmware do chip Wi-Fi caso estejam dentro do alcance wireless dos aparelhos alvo.
O problema é apenas um entre várias falhas descobertas pelo pesquisador do Google Project Zero, Gal Beniamini, no firmware dos chips Broadcom Wi-Fi. Algumas dessas vulnerabilidades também afetam aparelhos Android e foram solucionadas como parte de um boletim de segurança liberado agora em abril pelo Google.
Liberado nesta segunda-feira, 03/04, o iOS 10.3.1 é um pouco incomum porque corrige apenas essa única falha e chega somente uma semana depois da Apple soltar o update iOS 10.3, uma atualização maior que corrigiu uma ampla variedade de vulnerabilidades em diversos componentes.
A explicação para esse intervalo de tempo curto entre os dois lançamentos pode vir da linha do tempo do Google Project Zero para a falha - que teria sido revelada para a Apple em dezembro.
Fonte: Macworld.

Como o iPhone fez o sucesso e também quase faliu uma empresa inteira

Na última segunda-feira, 3, surgiu a notícia de que a Apple planeja desenhar por conta própria o processador gráfico das próximas gerações do iPhone. O que parecia uma simples movimentação de bastidores da indústria, porém, criou uma onda imprevisível no mercado de ações.
Essa onda, a princípio, só fez uma vítima imediata: a Imagination Technologies. Trata-se da empresa que produz os chips gráficos do iPhone há anos, e a mesma que divulgou a notícia de que a Apple planejava parar de contar com seus serviços.
Às 16h30 da última sexta-feira, 31 de março, as ações da britânica Imagination valiam 268 libras esterlinas - equivalente a pouco mais de R$ 1.000. Já às 8h da última segunda, esse valor caiu para apenas 100 libras esterlinas - equivalente a menos de R$ 400.
Uma hora depois, e o preço das ações já tinha caído mais ainda, para 84 libras (R$ 327). Em apenas um fim de semana, o valor de mercado da Imagination sofreu uma queda de nada menos do que 68%. Tudo graças à previsão de que a empresa estava prestes a perder o contrato com a Apple e parar de prover as GPUs do smartphone mais vendido do mundo.
Mas não é só isso. Segundo a própria Imagination, 50% de seus lucros vêm da venda desses componentes para a Apple. A empresa britânica também recebe uma parcela dos lucros obtidos com a venda de cada iPhone e iPad no mundo que usa sua tecnologia. E, apenas nos últimos três meses de 2016, a Apple vendeu mais de 78 milhões de iPhones.
Vlad Savov, editor do site norte-americano The Verge, lembra que a Imagination não é a única e nem a primeira empresa a depender tanto da Apple. Em 2013, uma fornecedora chamada GT Advanced Technologies ganhou US$ 1 bilhão da empresa de Cupertino, apenas para se declarar falida um ano depois.
O que aconteceu foi que a Apple buscou nessa pequena fabricante a tecnologia para criar telas de safira para o iPhone 6. O projeto sofreu uma série de complicações, já que Tim Cook queria produtos de alta qualidade a preços baixos, até que a ideia das telas de safira foi descartada e a GT Advanced, que havia investido até seu último recurso nesse acordo, acabou declarando falência.
No caso da Imagination, porém, ainda não é o fim do mundo. As ações da empresa começaram a notar um tímido aumento nas primeiras horas desta terça e após a queda vertiginosa de segunda. A própria companhia garante já está discutindo "possíveis acordos comerciais alternativos" com a Apple, e que a chance de sua cliente construir uma GPU própria do zero ainda é baixa.
Além disso, apenas um ano atrás, a Apple admitiu interesse em comprar a Imagination. A Maçã diz que não fez uma oferta oficial, mas, na época, o valor de mercado da fornecedora girava em torno dos 500 milhões de euros. Seja como for, a história dos últimos eventos é um bom lembrete de como o iPhone pode fazer o sucesso e também quase quebrar uma empresa inteira em questão de horas.
Fonte: Olhar Digital.

Apple promete reformular completamente o Mac Pro


A Apple prometeu que vai reformular o Mac Pro. Em um evento realizado nesta terça-feira, 4, o vice-presidente de marketing da companhia pediu desculpas pela ausência de atualizações - que não aconteciam desde 2013 - e afirmou que a companhia está "repensando completamente" o projeto do dispositivo. "Lamentamos a pausa nas atualizações e prometemos que vamos apresentar algo bom para substituir o Mac Pro", afirmou Phill Schiller.
A afirmação, de certa forma, é um reconhecimento da Apple de que houve um problema no design do produto. "Nós queríamos fazer algo ousado e diferente. O que nós não pensamos na época era como tínhamos adaptado esse projeto a uma visão específica, que no futuro nos deixaria um pouco encaixotados - presos em um círculo", explica Schiller, fazendo referência ao formato do Mac Pro.
O que esperar?
"Temos uma equipe trabalhando duro nisso agora, e queremos arquitetá-lo para que possamos mantê-lo atualizado com melhorias regulares. Estamos empenhados em torná-lo o nosso melhor produto e com o melhor desempenho em um desktop", conta Schiller.
A Apple deve anunciar ainda um novo monitor. Para quem ficou animado com a novidade, é bom não se apressar. O novo dispositivo deve chegar ao mercado apenas no ano que vem. Por enquanto, o atual Mac Pro continuará à venda. "Acreditamos que é realmente importante criar algo grande para nossos clientes que querem um sistema modular no Mac Pro, e isso vai demorar mais do que um ano para fazer", finaliza o vice-presidente.
Fonte: Olhar Digital.

3 de abr de 2017

Apple encomenda mais de 70 milhões de telas OLED da Samsung

Os rumores estavam certos: a Apple realmente vai incluir telas OLED nos próximos iPhones. Anteriormente, a indicação era que a Maçã colocaria painéis OLED no iPhone 8, enquanto a linha iPhone 7s e iPhone 7s Plus continuaria com a LCD. Porém, a Apple acabou de encomendar 70 milhões de painéis OLED para a Samsung, e isso pode indicar que todos os aparelhos podem chegar com essa tecnologia.

A Samsung é a única fornecedora de telas para a Apple
Segundo a Nikkei, a Samsung continuará sendo a única fornecedora de telas para a Apple. Exatamente: caso você não saiba, a principal concorrente da Apple é também a única fornecedora de painéis para iPhones.
É esperado que o iPhone 8 chegue ao mercado com uma tela de ponta a ponta — similar ao LG G6 e Samsung Galaxy S8 —, com corpo de vidro e dentro de uma faixa de preço bem salgada, girando em torno de US$ 1 mil.
iPhone 7 x iPhone 8 (conceito)
"Neste ano, a Apple encomendou 70 milhões de unidades de painéis OLED da Samsung. Enquanto isso, a Samsung está preparando até 95 milhões painéis para a Apple em 2017, caso a demanda exceda as expectativas", comentou o analista David Hsieh para a Nikkei.
Apesar disso, o analista corroborou a ideia de que podem faltar iPhones nas prateleiras caso a demanda exploda nas semanas iniciais de venda. "Também é possível que algumas unidades dessas 70 milhões não sejam entregues aos consumidores ainda neste ano e sejam empurradas para o ano que vem", notou.
O iPhone 8 deverá custar US$ 1 mil, espere mais de R$ 4 mil
A Nikkei, que tem fontes na indústria, também indicou algumas especificações para os próximos smartphones da Apple: iPhone 8 com tela OLED de 5,2" sem botão Home, iPhone 7s com tela LCD de 4,7" e iPhone 7s Plus com tela LCD de 5,5". Todos os aparelhos virão com carregamento wireless, e o iPhone 8 ainda contará com sensor 3D para reconhecimento facial.
Fonte: Tecmundo.

30 de mar de 2017

Confira a lista de apps pagos para iPhone que estão de graça hoje

A lista desta quinta-feira, 30, de aplicativos pagos que estão em promoção e, por isso, podem ser baixados gratuitamente, conta com opções de câmera, exercícios físicos e até um programa que realiza cálculos matemáticos por você. Confira todas as opções, mas fique atento: a promoção pode acabar a qualquer momento.
 1. Pushpin
Reprodução
Boa opção para adicionar e editar lembretes. O app também permite classificar, tornar privados e até buscar por categorias e lembretes específicos.
Reprodução
O objetivo do Six Pack Abs é ajudar o usuário a melhorar o seu desempenho ao praticar exercícios físicos, mais especificamente os abdominais. São diversos tipos de exercício com diferentes graus de dificuldade.
Reprodução
A proposta do Studio Music Player é levar a qualidade de reprodução de um estúdio musical para os seus fones de ouvido comuns.
Reprodução
Quer resolver contas difíceis e aprender matemática? Use o Math Pro. A ferramenta tem uma série de tutoriais sobre temas variados.
5. Coyn
Reprodução
O Coyn é um aplicativo de finanças que pretende organizar esse segmento da vida do usuário. Como os principais apps da categoria, ele conta com recursos que registram a entrada e saída de quantias e, assim, realiza uma análise do usuário.
Reprodução


A última posição da lista é ocupada pelo Epica Pro, um editor de imagens que coloca uma série de efeitos em suas fotos.
Fonte: Olhar Digital.

27 de mar de 2017

Apple abre cadastro para sorteio de senhas de ingressos do WWDC 2017

Desenvolvedores precisam se inscrever para ter a oportunidade de comprar ingressos do evento, que custam US$1.600 por pessoa.

A Apple anunciou nesta segunda-feira, 27/3, que os desenvolvedores que quiserem comparecer à conferência WWDC 2017, em junho, já podem se inscrever para uma loteria pela oportunidade de comprar ingressos.
Os interessados em ir ao congresso anual da Apple para desenvolvedores têm até a manhã da próxima sexta-feira, 31/3, para se inscrever e ter uma chance de comprar os ingressos para o evento, que costumam esgotar rapidamente.
Após o processo de cadastro para a loteria ser encerrado, a Apple irá selecionar aleatoriamente as entradas, e os usuários selecionados serão notificados que podem comprar os ingressos, que custam 1.600 dólares por pessoas - e só incluem a conferência em si.
A WWDC 2017 será realizada entre 5 e 9 de junho no McEnery Convention Center em San Jose, na Califórnia. Segundo a Apple, diversos hotéis próximos estão oferecendo diárias com desconto.
Fonte: Macworld.

Confira 6 apps pagos que estão de graça na App Store

Para quem quer economizar dinheiro, aqui vai um boa dica: os aplicativos abaixo costumam ser pagos, mas estão disponíveis para download gratuito nesta segunda-feira, 27. Com desconto aparecem editores de imagem, gravador de áudio e até um app de produtividade. Confira:
1. Molight
Reprodução
O Molight transforma as imagens usando filtros criados com base em cinco gêneros musicais. Há filtros clássicos, de jazz, blues dos anos 7, pop e folk. 
Reprodução
O app é um assistente de compras capaz de "ler" uma lista em texto e ajudar o usuário a se lembrar de comprá-los. Ele também funciona como um app para listas de tarefas.
Reprodução
O Musemage permite inserir filtros e efeitos enquanto grava as imagens. É possível ainda ajustar uma série de recursos manualmente, como em uma câmera analógica.
4. Madhat
Reprodução
Outra opção para quem busca editores de imagem. O Madhat transforma fotos e vídeos em animações e permite desenhar e adicionar uma série de efeitos às fotos.
https://itunes.apple.com/us/app/madhat-everyones-a-creative/id1058470839?mt=8
Reprodução
Como o próprio nome sugeste, o Audio Recorder foi desenvolvido para gravar áudios. O que faz com que o app se destaque é a possibilidade de converter os arquivos de áudio em texto, inclusive para outros idiomas.
Reprodução
Se você ganha por hora, o One Second App ajuda a calcular valores e horas de trabalho.
Fonte: Olhar digital.